+55 (31) 2555-1040

Links patrocinados: tudo o que você precisa saber.

Post 20 de fevereiro de 2019

Publicado em 20 de fevereiro de 2019



Se você é uma pessoa atenta, já deve ter percebido que, ao fazer uma pesquisa no Google, os primeiros resultados que obtém nem sempre são orgânicos. Muitas vezes, eles aparecem com um pequeno aviso que diz “Anúncio”. Essa é a forma mais comum de usar links patrocinados, mas não é a única. Nesta página você vai aprender tudo sobre links patrocinados: o que são, por que investir, os principais conceitos, onde e como anunciar. Boa leitura!

O que são links patrocinados

Links patrocinados são anúncios de Marketing Digital nos quais predominam o formato de texto simples. Como os links patrocinados mais famosos são os que aparecem nos resultados do Google, há quem use o conceito como sinônimo dos anúncios feitos no buscador.

Especialistas, no entanto, divergem: muitos defendem que a ideia inclui qualquer link pago que é utilizado para divulgar produtos ou serviços na internet. Dessa forma, os anúncios do Google seriam apenas uma das possibilidades. Nesta página, adotaremos esse conceito mais amplo, que inclui também ads em redes sociais, blogs, dentre outros.

Links patrocinados podem ser exibidos em diversas plataformas, como mecanismos de busca, Rede de Display do Google, blogs e portais de notícias.

remarketing google adwords 3

Por que investir em links patrocinados

Investir em links patrocinados tem sido uma estratégia cada vez mais utilizadas por empresas de diversos portes e segmentos, especialmente em tempos de queda do alcance, como tem ocorrido no Facebook.

Muitas vezes, alcançar seus objetivos envolve ações pagas, e os links patrocinados são uma ótima opção. Neste tópico, conheça os principais motivos para investir em links patrocinados.

1. Atraia tráfego para o seu site

Ter um site que recebe visitantes é um dos pontos de partida de uma estratégia de Marketing Digital. Para quem está começando, no entanto, gerar tráfego orgânico pode ser uma dificuldade.

Nesse sentido, são muito úteis os links patrocinados: os anúncios direcionam para páginas que podem ser do seu site, blog ou Landing Page. Está dado o start para a geração de Leads!

Você também pode gostar: Precificação B2B: superando os desafios com inteligência

2. Acelere seus resultados

Com links patrocinados é possível obter resultados mais rápidos e previsíveis. Mesmo com pouco investimento é possível fazer uma campanha bem segmentada para o seu público-alvo. Uma ótima opção para quem quer acelerar ou turbinar resultados.

3. Identifique seu público

Falamos em fazer uma campanha segmentada, mas nem sempre as empresas que começam a investir em links patrocinados já conhecem bem seus públicos-alvo. Se esse é o seu caso, não desperdice a oportunidade!Fazendo campanhas de links patrocinados, dá para validar e entender características (idade, gênero, localização) e interesses do seu público com base nas pessoas que mais interagem com seu anúncio.

4. Invista de maneira flexível

Descobrir a quantia certa a investir é uma dúvida comum entre quem está iniciando no mundo da mídia paga. Para quem gosta de respostas prontas, infelizmente não há uma resposta objetiva. Cada empresa tem suas particularidades, por isso o melhor é adotar uma postura investigativa: realize testes de baixo investimento, avalie as respostas do público e otimize as próximas campanhas a partir dos dados obtidos.O bom é que, independentemente do seu budget, é possível fazer campanhas que se adaptem a sua realidade.

5. Meça os resultados

Por falar em obter dados e otimizar campanhas, eis uma das principais vantagens de investir em links patrocinados: plataformas de anúncios permitem acompanhar em tempo real o desempenho das campanhas. Para cada uma delas, é possível avaliar números como tráfego, geração de Leads e de vendas.

CPC, CPM e CPA

Quem deseja investir em links patrocinados precisa dominar três métodos de cobrança: Custo por Clique (CPC), Custo por Mil (CPM) e Custo por Aquisição (CPA). Eles são geralmente utilizados por plataformas de mídia paga. Veja um pouco sobre cada um deles:

CPC

CPC (significa Custo por Clique) é uma maneira de cobrar anúncios em que o anunciante paga por cada clique que pode direcionar ao site de destino. Calcular o CPC é fácil: é só dividir o total gasto pelo número de cliques recebidos no anúncio.

CPM

Já o CPM (Custo por Mil) é a métrica que representa o gasto que é gerado a cada mil impressões de um anúncio. Por impressões entenda-se o número de vezes que um anúncio foi exibido ao público na internet. Ao escolher o CPM como método de pagamento, o anunciante concorda em pagar uma quantia predeterminada para cada mil impressões.

CPA

No CPA (Custo por Aquisição), por fim, o anunciante só paga quando alcança o objetivo final da campanha, que pode ser o download de um material, uma venda, dentre outros. É um formato de baixo risco para quem anuncia, já que só se paga pelas transações em que foram realizadas a ação desejada. Mas, por esse motivo, também costuma ser uma opção mais cara.

Retargeting: o que é

Quando você vê a página de um produto e depois a oferta segue aparecendo em outras páginas que visita na internet, não é o destino: essa é uma prática chamada retargeting, bastante comum no Marketing Digital.

O termo tem origem no inglês target, que significa alvo. Retargeting, portanto, seria impactar mais de uma vez a mesma pessoa com anúncios que são mostrados depois de uma primeira busca pelo assunto, de uma visita a um ecommerce, dentre outras interações. Talvez você também encontre a estratégia sendo chamada de remarketing, que é a maneira como o Google chama a sua própria ferramenta de retargeting.

 

Vamos conversar?

captcha


Voltar para todas as postagens